O Hipotireoidismo causa uma série de problemas, dentre eles a fadiga e a depressão. Mas, será que essa doença tão comum apresenta riscos psicológicos graves e pode até levar ao suicídio?

Infelizmente, depressão e hipotireoidismo são doenças cada vez mais comuns. 

De fato, muitas pessoas estão carregando um fardo pesado e nem sabem exatamente o porquê. 

Vamos comigo nesse relato para entender a relação entre depressão e hipotireoidismo.

Como tudo começou ...

Uma senhora de 45 anos, com sintomas fortes de depressão e ideação suicída, veio à minha clínica. Anteriormente diagnosticada com depressão por um psiquiatra “famoso” de minha cidade, veio acompanhada do marido. 

Embora estivesse sob efeito de remédios antidepressivos há algum tempo, o quadro dela não mudara muito.

A ideação suicída martelava, sobretudo, ainda mais forte em sua cabeça. Por mais que afirmasse não querer cometer suicídio, parecia não ter forças de conviver consigo mesma. O maior medo dela era o sofrimento que causaria em toda sua família uma vez que partisse.

Mas, deixa eu volta um pouco a história para você entender melhor

Logo após perceber que o tratamento psiquiátrico que fazia não estava surtindo efeito, seu marido foi à procura de  respostas na internet. Nesse meio tempo, se deparou com um vídeo no Youtube sobre depressão e menopausa. Foi então que ele decidiu procurar ajuda nessa área, mesmo sabendo que sua esposa ainda não se encontrar na menopausa.

Eles foram à um ginecologista para que pudessem investigar melhor. 

No entanto, depois da consulta e análise dos exames de sangue, o médico não identificou nenhum problema de saúde. Nada de menopausa, disfunção na tireoide, ou anemia, ou ainda presença de doenças autoimunes. Sendo assim, o ginecologista reafirmou a necessidade de continuar com os antidepressivos. 

Frustrados por não encontrarem respostas, voltaram para casa.

Nem todos chegam na mesma fase crítica em que ela vai chegar agora

Certo dia, o marido saiu de casa para trabalhar e ela ficou, já que não conseguia mais trabalhar. Então, em meio a angústia que estava sentindo naquele dia, que parecia ser maior do que todos os outros, ela decidiu tirar a vida. Pensou em pular de uma ponte. Terrível isso. 

Mas, pela graça do bom Deus, o marido precisou passar em casa e a encontrou em prantos. Embora ela já tivesse escrito uma carta de despedida, ainda não tinha reunido forças para sair de casa e concluir o que havia planejado.

O marido a internou naquele mesmo dia. Assim que ela chegou no hospital psiquiátrico, já recebeu diversos medicamentos. Como resultado, ficou muito mais dopada do que realmente tratada. 

Por fim, recebeu alta com uma prescrição enorme de remédios e retorno agendado com o psiquiatra.

Nesse meio tempo, enquanto a esposa estava internada, o marido procurou ajuda. Ele conversou com diversos médicos, porém sem nenhuma novidade ou sinal de luz no fim do túnel. Foi quando, poucos dias antes de sua esposa receber alta, ele foi indicado à procurar medicinas alternativas.

Logo depois de ela receber alta, dicidiram vir até minha clínica. 

Finalmente, a luz no fim do túnel

Apesar de ter tireoide “normal”, segundo os outros médicos com os quais já havia se consultado, ela apresentava alguns sintomas clássicos de hipotireoidismo: ganho de peso, memória fraca, dificuldade de concentração e intestino preso.

Eu pedi para ela fazer a medição da temperatura basal. O resultado já era o esperado: temperatura abaixo do normal. O resultado dela deu 34,9°C, sendo que o normal é 36,5°C.

Assim, começamos o tratamento com suplementação e modulação hormonal.

Foi incrível! Ela começou a apresentar melhora em poucas semanas e logo depois largou os antidepressivos

Posteriormente, viemos entender que ela também sofria com fibromialgia. Porém, com o tratamento para tireoide, a fibromialgia cedeu bastante.

É muito importante dar atenção a si mesmo e às pessoas a sua volta com depressão e pensamentos suicída

Infelizmente, depressão é uma doença que vem crescendo drasticamente, dentro e fora do Brasil. Por isso, se você conhece alguém com depressão ou seus sintomas, indique a avaliação tireoidiana. 

A partir de exames de sangue e a avaliação de temperatura basal, já é possível detectar possíveis distúrbios na tireoide.

Não deixem de divulgar. Isso pode salvar a vida de alguém.

Quer saber como avaliar sua tireoide em casa?

Confira o vídeo abaixo. Você só vai precisar de um termômetro e 5 dias.